segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Jomar Moraes recebe título Honoris Causa



Escritores, professores universitários e políticos assistiram, no auditório da Academia Maranhense de Letras (AML), na noite da última sexta-feira (6), o escritor Jomar da Silva Moraes receber a outorga de Doutor Honoris Causa do Conselho Universitário da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

A cerimônia foi conduzida pelo Conselho Superior Universitário composto pelo reitor José Augusto Silva Oliveira, vice-reitor e os cinco pró-reitores da Uema. Vestidos com becas, capelos e borlas, eles entraram no auditório da Academia em um cortejo conduzido por cadetes da Polícia Militar do Maranhão que conduziram um pavilhão formado pelas bandeiras da Uema, Maranhão e Brasil.

Depois da execução e o Hino Nacional e discursos, Jomar Moraes, visivelmente emocionado, recebeu a comenda máxima concedida pela Uema. "É um momento muito importante para mim. Desdobro esta honraria a todos que trabalham em favor da Literatura e do saber no Maranhão", afirmou o homenageado, que presidiu a AML por 22 anos.

"O professor Jomar Moraes tem um caminho de vida e um produção intelectual exemplar e, por isso mesmo foi escolhido para receber esta homenagem", disse o reitor, José Augusto Oliveira. Na sua visão, é uma honra para professores, alunos e funcionários ter uma personalidade como Jomar Moraes como Honoris Causa da Uema.

O presidente da AML, Milson Coutinho, falou do orgulho que representa mais um membro da Academia receber esse título. "Ele é o segundo acadêmico Honoris Causa da Uema; o primeiro foi o escritor José Sarney", informou.

Presentes também na solenidade, parentes de Jomar Moraes. O escritor tem cinco filhos (dois homens e três mulheres), oito irmãos e dois netos. "É um orgulho para toda a família que o meu pai receba mais esse reconhecimento", afirmou a filha Júlia Moraes.

Jomar Moraes já foi prestigiado com várias outras honrarias, dentre as quais, as medalhas Santo Dumont, Brigadeiro Falcão, João Lisboa, Sesquicentenário da Adesão do Maranhão à Independência, do Mérito Timbira (Grande Oficial), da Ordem dos Timbiras e outras. Mesmo assim, demonstrou-se emocionado e agradecido com a homenagem proporcionada pela Uema.

A pró-reitora de Extensão da Uema, Grete Pflueger, destacou méritos que contribuíram para Jomar Moraes ter sido escolhido para receber o título. "É um homem honrado, um grande escritor e um pesquisador exemplar. Como historiador está dando grande contribuição para a preservação da memória do Maranhão".

Grete Pflueger informou que a professora do Curso de Farmácia da Universidade Federal do Maranhão, Terezinha Rego, já foi eleita pelo Conselho Universitário para receber a mesma homenagem, em cerimônia prevista para ser realizada neste semestre.

A apresentação do homenageado foi feita pelo professor do curso de História da Uema, Alan Kardec Pacheco Filho, que discorreu sobre as várias facetas do imortal, escritor, ensaísta, cronista, pesquisador, editor, crítico e historiador, além de colaborador da imprensa. Depois da solenidade, Jomar Moraes relançou e lançou duas publicações: "Canção do Abandono", de Olímpio Cruz e "Cousas Alguma... & + Alguma Coisa de/sobre Vespasiano Ramos".

Reitor fala de Jomar

Para o reitor José Augusto Oliveira o que há de admirável na história deste exímio escritor é que as suas fantasias ganharam uma realidade precoce, um encantamento "A sua obra cruzou com uma culta e elegante dama - a Literatura que o envolveu e o levou a uma vida longa, próspera e recheada de belas façanhas", diferençou o reitor.

Por isso mesmo, segundo José Augusto, justifica-se o sentimento de profunda satisfação e orgulho nesta noite em que são dadas homenagens a tão ilustre intelectual. Ele afirmou que a Uema se faz pela luz de muitas inteligências, cabendo ao Conselho Universitário captar o brilho das inteligências no circuito da vida universitária e elevá-lo até a altura dos telhados, para que ilumine a todos.

O título

Por ser uma universidade, José Augusto lembrou que a Uema tem a missão de estudar, guardar e ampliar o patrimônio da cultura que a circunscreve. Sua obrigação é zelar pelos bens culturais desta terra, e preservar o nome daqueles, cuja biografia constitui um legado que enriquece as páginas da história maranhense. Eis a razão que justifica a outorga do grau de Doutor Honoris Causa, por parte de uma universidade.

Este título representa sempre a escolha de uma individualidade ilustre pela sua personalidade, postura na vida, obra, sabedoria e contribuição para o bem comum. O doutoramento Honoris Causa reconhece o valor do contemplado e o proclama publicamente. Honra com isso o agraciado e recebe dele a honra da aceitação.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir